domingo, 22 de maio de 2011

Recomeços!



Toda vez é sempre a última vez. Toda despedida é sempre a última. É sempre um adeus. Mas as voltas são mais do que constantes e será sempre assim, até que os perdões possam uni-los.
PS: Diz-se (não sei quem) que não existe amor sem perdão!

Nenhum comentário: