domingo, 26 de junho de 2011

Texto desentranhado de um microconto da Cyntia

“Não se sabia se insistente ou obediente: foi até a esquina, ver se ele estava lá. Ninguém a viu voltar.” (Cynthia)




Foi ser feliz. Sem dizer adeus, muito menos quando voltaria. Deve ter cansado de esperar. Depois de acordar e perceber que seus braços passeavam pela cama vazia, ela cansou de esperar.

Dizem que perdeu a razão. Poucos sabem, porém, ela foi ser feliz cheia de razão e emoção.

“Dane-se!”, teria dito ao lembrar-se de quando lhe disseram que é praticamente impossível ser sábio quando se está apaixonado ou desapaixonando.  Foi ser feliz certa de que a emoção e a razão podem ocupar a mesma pessoa ao mesmo tempo.

Foi ser feliz e não voltou. Cyntia é que não quis dizer, mas eu sei, todos sabem. Ela não disse adeus e nem quando voltará. Se é que voltará.

Dizem que ela entrou num táxi, foi pro aeroporto e pegou o primeiro avião com destino à felicidade. À felicidade!

            PS: “E pela minha lei, a gente era obrigado a ser feliz.” (Chico Buarque)

2 comentários:

Cynthia Osório disse...

A felicidade é um caminho sempre!! Sozinha ou acompanhada... já pensou se ele estava mesmo na esquina?!!É outra possibilidade.

Gildean Tiago disse...

O bom da felicidade é que existem inúmeras possibilidades de alcançá-la. E se o 'destino à felicidade' for o local onde esteja um amor antigo?

p.s.: Seja feliz, seja feliz!