quinta-feira, 14 de julho de 2011

O chato e a moça bonita





O sorriso acanhado lhe chamou atenção. Ela era bonita e tinha o sorriso encantador. A última vez que sentiu tanto encantamento assim por uma mulher foi por aquela lhe deixou há alguns meses. Guilherme nem ousava falar o nome da tal criatura.

Ela não parava de dançar. Dançava muito. Ele observava. Tímido e sem saber dançar, olhava de longe. “E vai dançando até me dá uma aflição, me provocando até me dá pena de mim.”, cantarolou.

Quando ela finalmente parou de dançar, ele levantou, iria conversar com ela, mas bem nessa hora apareceu um amigo dos tempos de antigamente. Eles iniciaram uma conversa, ele ouvia pouco – estava desatento à conversa – e falava menos ainda, só tinha olhos pra moça linda que viu dançar.

O amigo falava das bagunças que aprontavam na escola, das vezes que levavam bebida alcoólica pra escola, reuniam a galera e bebiam escondidos. Falou mais algumas insignificantes, pelo menos praquele momento.

Finalmente o amigo resolveu falar da festa e quando o tal amigo tocou no assunto ‘mulheres bonitas’, Guilherme se empolgou, demonstrou interesse pela conversa e pôs-se a falar da morena linda que já havia voltado a dançar.

“Droga! Esse cara me atrapalhou!” – pensou. Pôs-se a falar ao amigo sobre a moça linda que viu dançar, falou sobra a lindeza da moça, do sorriso acanhado, das pernas. “Parece que eu conheço aquelas pernas há anos.” Disse.

Depois de alguns minutos, o amigo finalmente falou em ir embora e ele se alegrou porque a tal moça estava sentada outra vez, era hora de chegar até ela. Tinha que descolar pelo menos o número do telefone da moça.

Tal amigo disse umas duas frases, ele se distraiu com a conversa, tirou os olhos da moça e quando retornou o olhar, ela já não estava mais lá. Foi embora, sumiu, foi abduzida. Culpa do chato.

Despediu-se do amigo, pagou a conta, chamou um táxi e foi pra casa escrever sobre a moça linda que ele viu dançar.

PS: “Já de volta em casa, sento e escrevo uma canção meio circense, espero que ela agrade a moça linda que eu vi dançar. É tanto charme que nem cabe no salão, como é que pode linda assim?” (Parafusa).

3 comentários:

Gilvania Leão disse...

Obrigada, sou eu a moça bonita! Satisfação ;) rsrs

Gildean Tiago disse...

Por nada, Gilvania!' rsrs

Filha do Sol do Equador. disse...

As vezes o destino faz essas danações... Volta momento fujão!

rsrsrsrs....

Abraço.