sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Começar de novo




Dizia estar feliz. Parecia estar feliz. Depois de muito tempo: felicidade. Não felicidade qualquer, daquelas que vêm e passam. Era felicidade de verdade. Daquela que dá vontade de sair com os amigos, conhecer pessoas novas, se apaixonar e desapaixonar meia hora depois. Daquelas felicidades de não ter vontade de lembrar-se de quem lhe fez mal.

"Terminar não foi questão de querer, mas de necessidade. Já sabíamos onde tudo ia dar, paramos no meio do caminho. Deu pra evitar maiores danos. Que ela seja feliz, muito feliz com um novo rapaz", dizia pros amigos. "E vamos mudar de assunto", brincava.

Antes, quando ainda topava falar de sua ex-amada, costumava dizer que o grande amor e grandes momentos ficaram pra trás. As coisas pareciam sem cor, a vida parecia mais difícil, aí surgiram as primeiras brigas, as mágoas, o ciúme começava a atrapalhar o relacionamento.

Nas brigas, os insultos. Ela era dura com as palavras. Com isso deram um tempo. E quando voltaram, viram que nada adiantou.

O tempo não muda as coisas de lugar. As mágoas continuaram. As desconfianças e as brigas também. De noite, na cama, quase tudo se resolvia, viviam bons momentos, até conversavam bem, faziam promessas, dava a entender que seria diferente, mas aí vinha o dia seguinte.

Os telefonemas no meio da tarde que poderiam ser coisas de matar saudade eram, na verdade, de matar de vergonha. E de raiva. Ela ligava pra saber onde estava. Com quem estava. E não adiantava o que ele dissesse, ela sempre falava que ele estava com outra.

Ele também falava das coisas boas, das risadas, das festas, dos amigos, pena que isso não tenha sido o suficiente pra salvar o romance. Ela tentava mantê-lo em suas "garras". Um atraso de vinte minutos e ela parecia enlouquecer. Já não era amor, parecia obsessão.

Até que um dia ele resolveu terminar. Qualquer relacionamento resiste a tudo, menos á desconfiança. Terminaram e ele viajou. Conheceu as cidades que combinou de conhecer com ela e fez a ta sonhada especialização.

Voltou faz duas semanas, disse ter voltado pra ficar e pra encontrar alguém por quem se apaixonar. E desapaixonar depois de trinta minutos.

De agora em diante, segundo ele, o que valerá é a vontade de ser novo, de se reinventar e ter encantamentos. E ele vive de dizer que vai escrever a letra de 'começar de novo', do Ivan Lins, por todas as paredes do quarto.

PS: "[...] Começar de novo e só contar comigo. Vai valer a pena ter amanhecido sem as tuas garras sempre tão seguras, sem o teu fantasma, sem tua moldura, sem tuas escoras, sem o teu domínio, sem tuas esporas, sem o teu fascínio. Começar de novo e só contar comigo. Vai valer a pena já ter te esquecido [...]" (Ivan Lins)

Nenhum comentário: