quarta-feira, 9 de maio de 2012

Não há motivos para recomeçar




- eu te amo.

- e daí?

- e daí? eu tô dizendo que te amo, porra, e você me diz e daí?

- você reclama como se não lembrasse as vezes em que eu disse e mostrei o quanto te amava, aliás, você não deu a mínima para o que eu fazia. eu me desesperava, estava sempre disposto a fazer algo pra você notar, saber o quanto te amava e o quanto queria estar contigo.

- e não quer mais? eu chorei tanto depois que tudo terminou, senti sua falta, sofri, eu errei feio em te tratar com tanta indiferença.

- eu sei. eu também chorei, sofri, liguei às quatro da manhã pros meus amigos pra dizer que tudo era insuportável e que eu não sabia o que fazer. era como se a vida tivesse terminado. mas aí eu percebi que teria a vida inteira para suprir tua ausência. sabia que um dia deixaria de te amar.

- acontece que eu te amo, descobri tarde talvez. por que não tentamos outra vez?

- você parece ter esquecido todas as coisas ruins que me fez. sabe, por algum tempo tive a impressão de que o seu desprezo não acabaria nunca. você acabou comigo e não falo apenas do término do relacionamento. falo do sentido mais crucial da palavra. você me deixou em frangalhos, eu estava acabado enquanto você se mandava sem nem sequer saber de mim.

- você me odeia e isso faz acreditar que é verdade quando dizem que o amor e o ódio se irmanam. era, e é insuportável não ouvir tua voz, não estar contigo, não ficar boquiaberta com o teu jeito de defender teus pontos de vista. é duro não ouvir mais a nossa música sem chorar de saudade.

- eu não te odeio, apenas acredito que não podemos recomeçar porque hoje sou eu quem não ama mais. seria eu o indiferente nesse novo relacionamento, seria eu quem faria sofrer e eu não quero isso. não merecemos passar por isso outra vez.

- sei que você deve estar surpreso com essa minha volta, com tudo isso que estou dizendo, mas é que eu te amo e não sei o que fazer. o que eu vou fazer pra te esquecer?

- pergunta pras tuas amigas com quem você falava ao telefone enquanto eu tentava te mostrar as coisas boas do nosso amor ou enquanto eu tentava conversar sobre o meu dia de trabalho e universidade. talvez possam te mostrar algum caminho.

- tudo o que eu quero é...

- agora não importa o que você quer. agora é a minha vez de ser um pouquinho egoísta. o que me entristece é que nos amamos em momentos diferentes. hoje é você quem quer fazer de nós dois um lindo sonho, problema é que eu não estou mais disposto a investir nisso outra vez. você tem uma vida inteira pra me esquecer, fica tranquila. mais dia menos noite você vai encontrar alguém com quem será feliz.

p.s.: “o que me importa seu carinho agora se é muito tarde para amar você? o que me importa se você me adora se já não há razão para lhe querer?”.  (cury heluy)

Nenhum comentário: